Propostas

para bem-viver BH

Contexto

Nosso mandato tem o compromisso de ser uma trincheira de resistência. Vivemos gravíssimos problemas ambientais no nosso tempo, o aquecimento global, os incendêncios florestais, a destruição dos rios e cursos d'água, os crimes da Vale no nosso Estado, entre tantos outros. Mais do que nunca é preciso entender que a urgência ambiental é causada por um problema sistêmico, que precisa de mudanças globais.

Nossas propostas para Belo Horizonte se inserem nesta perspectiva. Cada um no seu dia dia pode fazer muitas coisas, mas cada uma dessas ideias só terá uma perspectiva ecossocialista se estiver aliada à compreensão de que precisamos revolucionar o sistema.

Propostas

/Saneamento básico e reciclagem do lixo
- Defender políticas de apoio às cooperativas de catadores de materiais recicláveis, estímulo ao desenvolvimento de projetos de educação ambiental nas escolas e recuperação dos nossos cursos d'água.

- Lutar pela ampliação da coleta seletiva na cidade para atender a maioria da população;

- Buscar ampliar e fortalecer parcerias com associações de catadores para melhoria do processo de reutilização e reciclagem dos resíduos sólidos (lixo), sendo uma alternativa de geração de renda;

- Frente ao novo marco regulatório do saneamento básico (Lei nº 14.026/20), é necessário defender o direito aos serviços de saneamento ambiental para todos, sobretudo aqueles em vulnerabilidade socioambiental. Em qualquer perspectiva, saneamento é um pilar da saúde, ao lado do transporte público e do direito à moradia;

- Lutar contra a privatização e defesa da total estatização da COPASA, que hoje funciona em regime misto (público e privado);
- Lutar pelo acesso ao saneamento básico em locais públicos (ampliação de banheiros públicos e pontos de água para consumo humano). Acesso ao saneamento é um direito humano;
- Lutar e cobrar das instâncias responsáveis por um plano de drenagem urbana eficiente que não coloque as famílias em risco em períodos de chuva.

/Auto organização:
- Investimento/Incentivo para a criação de hortas comunitárias, conscientização para coleta seletiva ser eficaz e bioconstrução.

- Investimento/incentivo na educação sanitária e ambiental para tornar a coleta seletiva mais eficiente e inteligente na cidade;

- Investimento/incentivo de técnicas de bioconstrução e tecnologias sociais de saneamento;

- Troca e apoio às comunidades tradicionais (indígenas e quilombolas) de Belo Horizonte.

/Soberania alimentar:
- Incentivo à geração de renda para famílias/comunidades carentes através da produção agroecológica tanto no campo quanto na cidade.

/Mobilidade urbana

- Lutar pelo controle público e popular do transporte público de Belo Horizonte. Enfrentar a lógica das empresas e dos empresários que comandam a cidade e são grandes financiadores de campanha.

- Lutar para ampliação do Passe Livre, hoje na capital o passe livre é parcial.

- Defender a concepção e o projeto de Tarifa Zero! Transporte não é mercadoria. É direito!

/Educação
- Para haver a mudança que queremos e buscamos a educação ambiental tem um papel muito importante. Não uma educação ambiental que abrange apenas comportamentos individuais e coisas pontuais, mas uma educação ambiental que ajude a construir um sujeito eco político. Por uma educação ambiental ecossocialista!

/Preservar nossos parques, rios e águas
- Recuperação de nossos cursos de água.

- Enfrentamento à mineração predatória - a Vale tem que pagar pelos seus crimes.

- Construir uma política municipal de prevenção e combate aos incêndios nos parques e áreas verdes de BH.

- Incentivar e formar brigadistas voluntários para o combate ao fogo.

/Moradia
- Defesa integral das ocupações urbanas. Enquanto morar for privilégio. Ocupar é um direito!

Imgem mostra Áurea Carolina, Deputada Federal e candidata a prefeitura de Belo Horizonte e Iza Lourença candidata a vereadora de Belo Horizonte.